A MÍDIA, O CIDADAO E A SOCIEDADE.

Comentários sobre atrocidades políticas como é visto todos os dias na mídia brasileira não são atos de cidadania. São atos de pessoas que sabem do problema, mas apenas querem repassá-lo como noticiadores, como se dele não fossem vítimas.

De fato são muitos dos jornalistas, os mais ignorantes seres da sociedade, pois criticam políticos, criticam a inércia do povo, e nada fazem de concreto além de noticiar. É como se não fossem parte do povo. Eles falam dos prejuízos causados ao povo como se estivessem falando de um terceiro.

Enquanto os jornalistas e os mais informados não mudarem de atitude, a lástima continuará...

Todo repórter ou jornalista antes de ser profissional deve ter a consciência de ser também vítima daquilo que acontece contra a sociedade, devendo exercer o papel de cidadão antes de exercer o papel de profissional, contribuindo assim com o seu país, estado ou município, não apenas informando, mas, principalmente propondo soluções, denunciando e chamando o povo a participar...

Para que tanto querem uma imprensa livre e democrática? Para escandalizar o país e tirar o sono do povo? As notícias servem atualmente tão somente, para mostrar acidentes, desgraças, crimes país afora e crimes políticos de corrupção. Noutros horários a televisão, com raríssimas exceções, é invadida por fúteis programações que afagam e entretem o povo para lhe compensar pelas trágicas notícias...

Só há más notícias e irônicas críticas... Fulano roubou isso, ciclano recebeu propina do mensalão, beltrano desviou dinheiro da saúde.

Afinal, quando um político rouba, rouba de quem?

Rouba do cidadão e o faz de otário... E vocês, repórteres e jornalistas renomados e famosos do país... Não são cidadãos? Se roubam o cidadão e o fazem de otário, sendo você um (a) cidadã (o), você também são feitos de otários (as) pelos políticos vilões...

Todo aquele que gosta de criticar a política e os políticos, apontar quem roubou isso ou aquilo, fazer piadas com a desgraça do povo e com os políticos corruptos, deve primeiramente pensar numa solução e expô-la à toda sociedade.

Se a mídia trabalhar em prol da cultura e da democracia, atendendo ao objetivo com o qual lhe é garantida a liberdade de expressão, e observar a Constituição Federal em seu artigo 221, incisos I, II, III e IV, indiscutivelmente o país avançará em benefício de todos.

Observe, o disposto no artigo 221 e seus incisos: 

“Art. 221. A produção e a programação das emissoras de rádio e televisão atenderão aos seguintes princípios:
I - preferência a finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas;
II - promoção da cultura nacional e regional e estímulo à produção independente que objetive sua divulgação;
III - regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei;
IV - respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família.”

Este último inciso que menciona o respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família é o principal a ser observado, pois ele abrange tudo o que necessita uma sociedade, indo além do respeito a tais valores, mas devendo a televisão, disseminar a prática de tais valores, para conscientização geral para nestes moldes, haver a formação cultural da sociedade.

Quanto a você, jornalista e/ou difusor da informação, não seja apenas um mensageiro de futilidades e desgraças, seja cidadão, pois das robalheiras delatadas por você, são vítimas a sua mãe, seu pai,  seu(s) atuais e/ou futuros filho(s), neto(s) e demais descendentes...

Muitos jornalistas em rede nacional já chamaram o povo de estúpido...

Tendes consciência que fazes parte do povo e com isso chama a si próprio de estúpido? Pior do que isso, em sua inércia você é ainda mais estúpido, pois têm em suas mãos, ferramentas para a construção de uma sociedade melhor.

Postado por Administrador em 03/03/2013.


Para comentar, você precisar estar logado no site. Clique aqui e faça o seu login.

Lista de comentários:


Não há comentários, faça o seu comentário acima.

APOIO



PATROCINE, ANUNCIANDO AQUI!