GOVERNO, O QUE É, QUEM É?

GOVERNO, O QUE É, QUEM É?

O Governo, como todos chamam e acreditam existir é uma figura fictícia. O próprio estado é uma figura fictícia, pois no estado, nada tem um dono particular e então não passa de um ente criado e estruturado para cuidar dos bens públicos.
É fictício porque não tem um dono nem um interesse particular. O estado e as empresas públicas só existem em função do povo e para cuidar dos interesses da sociedade.
Qualquer prejuízo que sofrer o estado, o povo sofre junto e qualquer benefício deve ser revertido para o povo.
Embora algumas pessoas insistam em dar ao Estado a figura de um ser, isso é ideologia de ignorante, pois o Estado existe em função do povo e não o povo em função do estado, por isso; o estado existe pelo povo e para o povo, sendo então o estado, o próprio povo.
As empresas públicas não são diferentes e também pertence ao povo.

Elas não podem obter lucros exorbitantes, muito menos ser transferidas/vendidas a preços de banana, pois, se vendem caro os seus produtos onera a sociedade, e não faz sentido, o povo onerar a si mesmo. E quando empresas públicas são vendidas a preço de banana, é o mesmo que alguém jogar fora algo que lhe tenha custado caro.

A QUEM PERTENCE O PAÍS?
Imagine que o mundo foi criado para todos e dividido em partes iguais, para que cada um se sustente com o seu trabalho e para que todos convivam de forma harmoniosa.
Cada um com seu pedaço de terra, nele constrói sua moradia e realiza o seu trabalho para o seu sustento e lazer. As pessoas trabalham umas para as outras e trocam experiências e favores de acordo com o dom e ofício, preparo e disponibilidade de cada um.
Após a divisão, a sociedade (o povo) chega ao acordo de que muitas coisas deverem ser de uso comum, construídas com a contribuição de todos e consequentemente de propriedade de todos.
Essas coisas são as estradas, hospitais públicos, escolas para a transferência do conhecimento de geração para geração, a água dos rios e do mar e seus peixes, as riquezas subterrâneas, as áreas comuns como as praias e áreas de preservação e tudo que for necessariamente para o bem de todos. Haverá também regras (leis) que deverão ser cumpridas por todos, sendo que, aquele que não cumprir será punido com prisões, multas e indenizações. Imagine agora que para a execução do trabalho para garantir a criação e manutenção das obras que são para o bem de todos, serão eleitos alguns representantes da sociedade (Políticos) e contratados tantos outros quanto se fizer necessário (Funcionários Públicos), para a perfeita execução e preservação daquilo que a todos pertence e a todos serve.

Para custear o trabalho dos políticos e dos funcionários públicos e a manutenção das coisas públicas (obras, serviços e bens), será cobrada uma taxa sobre tudo que for vendido no país (impostos) e também contribuições diversas (Imposto de Renda, INSS, IPVA entre outros impostos) proporcionalmente às posses de cada um.

Esses representantes serão sempre subordinados ao povo, sendo que os políticos serão substituídos periodicamente de acordo com a decisão da maioria (eleições).
Percebeu como deve ser o seu país? Você sabe quanto o seu país arrecadou de impostos no ano que passou com a venda dos produtos que você e toda a sociedade adquiriu?

Você sabe quanto o seu país arrecadou de IPVA (imposto sobre propriedade de veículos automotores)?

Você sabe quanto o seu município arrecadou de IPTU (imposto sobre propriedade territorial urbana) sobre os imóveis da sua cidade no ano corrente? Você sabe quanto custa cada político brasileiro? E o prefeito de sua cidade? E o vereador? Você sabe quanto custa o funcionalismo público? Você sabe que tudo pertence ao povo e que você é parte desse povo? Se você não sabe de nada disso, de duas uma: ou o seu país não é democrático ou você não é cidadão...
Como pode você não saber de nada disso se tudo lhe pertence?
Reaja e exija a transparência dos atos públicos de seu país.
Não deixe que os seus empregados ajam como seus donos.
Não deixe que os seus empregados trabalhem em benefícios próprios e ignorem as suas necessidades.
Não deixe que os seus empregados se sintam donos de você ao invés de seu subalterno.
Exija que os políticos e funcionários públicos de seu país trabalhem como todos os outros cidadãos e em prol da sociedade e não como e quando queiram.
Exija que os seus salários e benefícios não sejam discrepantes e sim compatíveis com a realidade do país, com o trabalho que prestam e com as possibilidades do povo.
Impeça que os políticos manipulem o povo, pois é o povo quem detém o poder sobre os políticos e não o contrário, e por isso, o povo deve sempre ter a palavra final.
Reaja e torne-se vigilante, para então deixar de ser massa de manobra nas mãos de seus próprios empregados (políticos e funcionários públicos). Ou então, contente-se com um país de terceiro mundo, eivado de corrupção e condenado a um futuro incerto...

É comum houvir a frase: "A culpa é do governo..." A partir de agora, tenha consciência que a culpa é sua, ainda que seja só uma parcela, mas é sua... Quantos eleitores tem no seu município? Se tem 50.000(cinquenta mil), a sua culpa é 1/50.000 para todos os problemas nele existente. Da mesma forma você é responsável pelos problemas de seu estado e país.

Postado por Administrador em 05/03/2013.


Para comentar, você precisar estar logado no site. Clique aqui e faça o seu login.

Lista de comentários:


Não há comentários, faça o seu comentário acima.

APOIO



PATROCINE, ANUNCIANDO AQUI!